BrasilEconomia

Inflação ‘na porta da fábrica’ sobe 3,13% apenas em março

Variação de um mês do IPP encosta no centro da meta deste ano, definida pelo CMN em 3,5% do IPCA

O Índice de Preços ao Produtor (IPP) variou 3,13% em março, no comparativo com o mês anterior. O número, divulgado nesta quinta-feira (28) pelo IBGE, encosta no centro da meta inflacionária para o ano todo. O Conselho Monetário Nacional (CMN) definiu como meta uma variação de 3,5% do IPCA ao longo do ano.

O IPP é chamado de inflação na porta da fábrica, pois afere os preços das indústrias extrativa e de transformação antes do pagamento de impostos e fretes. Abrange as grandes categorias econômicas: bens de capital, bens intermediários e bens de consumo (duráveis, semiduráveis e não duráveis). A tendência é de que uma variação forte no IPP chege na sequência na ponta, ao consumidor, impactando assim no IPCA.

Em março, 16 dos 24 ramos investigados apresentaram taxas maiores no indicador. Refino de petróleo e biocombustíveis deu a maior contribuição ao resultado agregado, sendo responsável por 1,23 pontos percentuais (p.p.) de influência na variação de 3,13% da indústria geral. Outras atividades que também sobressaíram foram alimentos, com 0,71 p.p. de influência, indústrias extrativas (0,61 p.p.) e outros produtos químicos (0,57 p.p.).

Com o resultado de março, o IPP acumula no ano uma variação de 4,93%. Em fevereiro, o índice subiu 0,54%. A variação acumulada em 12 meses foi de 18,31% neste mês de referência.

 

Por bahia.ba / Foto: José Cruz/Agência Brasil

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo